segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Etnomusicologia

Músicos balineses tocando gamelão

http://www.musica.ufrj.br/

Etnomusicologia, também conhecida como antropologia da música (Merriam 1964), ou mais propriamente etnografia da música (Seeger 1992), é a ciência que objetiva o estudo da música em seu contexto cultural ou o estudo da música como cultura.

A etnomusicologia surgiu no final do século XIX e início do século XX, sob o nome de musicologia comparativa (Vergleichende Musikwissenschaft), sendo definida por Guido Adler (1885) como o ramo da musicologia que teria como tarefa a comparação das obras musicais, especialmente as canções folclóricas dos vários povos da terra, para propósitos etnográficos, e a classificação delas de acordo com suas várias formas. A mudança do nome é atribuída a Jaap Kunst, no seu livro Musicologia, de 1950.

É dito que o surgimento da etnomusicologia só foi possível graças à invenção do fonógrafo, em 1877 por Thomas Edison. Nessa época era comum pesquisadores como Erich von Hornbostel ficarem em seus escritórios realizando transcrições e escrevendo sobre culturas musicais as quais eles nunca conheceram pessoalmente, graças a gravações realizadas por curiosos, turistas, ou pesquisadores de outras áreas. Posteriormente, sob forte influência antropológica, a pesquisa de campo tornou-se uma exigência da disciplina.

A principal diferença entre a musicologia e a etnomusicologia está no foco. Enquanto a musicologia se preocupa primeiramente com o texto musical, a etnomusicologia dá ênfase ao contexto no qual a música está inserida, como forma de compreender o porquê daquela música ser da forma que é. Nos dias de hoje, a etnomusicologia também inclui em seu campo de estudo as músicas ocidentais, tais como o rock, jazz, o funk, ou o samba, mesmo ainda estando muito associada ao estudo de músicas não ocidentais, tais como a música tibetana, javanesa, africana, ou chinesa.

Um dos mais conhecidos etnomusicólogos foi o também compositor Béla Bartók.

Em 1956 surge nos Estados Unidos da América a Society for Ethnomusicology, enquanto que a Associação Brasileira de Etnomusicologia só veio a firmar-se em 2001. Atualmente o Brasil conta com pelo menos cinco pós-graduações em etnomusicologia (Bahia, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo e Paraíba), e alguns cursos de antropologia com forte vertente etnomusicológica. Em Portugal a principal formação de ensino superior na área é dada na Universidade Nova de Lisboa.