segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Polícia hasteia bandeira do Brasil no alto do Complexo

Fatalmente ando lendo muita bobagem de pessoas que insistem em deixar seus comentários em certos blogs, grandes jornais e  alguns sites  de notícias por aí.  Não concordo em nada com suas opiniões. 

Cartaz de Unidade de Polícia Pacificadora - UPP

A maior bobagem é, por exemplo, que os brasileiros estão "envergonhados" do que se passa no Rio de Janeiro. Primeiro eu me pergunto: quais são estes brasileiros envergonhados? Uma minoria que sequer gostaria de ter nascido aqui ou se gostaria, preferiria que aqui tudo fosse diferente. Enfim, dá no mesmo. Bem, saibam que todos os lugares têm seus diferentes níveis de problemas, seus governos igualmente têm maior ou menor interesse e às vezes autonomia - logo poder -  para resolvê-los. 

Pois aqui vocês têm uma brasileira que, ao contrário desses pensamentos mendigos  está exultante com o fato de que - depois de décadas de conivência - finalmente o Estado brasileiro deu um passo decisivo a fim de resolver este que não é apenas um problema nacional nosso: o crime organizado  do  tráfico de drogas. E eu não sou a única: a população do Rio de Janeiro, pelo menos aquela  que foi refém do tráfico durante décadas, também está esperançosa.


 José Mariano Beltrame - Secretário de Segurança do Rio de Janeiro


A segunda bobagem que elenquei está relacionada ao sentimento de baixa-estima do brasileiro midiatizado. Porque estas pessoas acreditam que este fato novo no cenário nacional não passa de um "espetáculo eleitoreiro" para 2014. Enfim, pode ser até verdade. Mas ao mesmo tempo, é muito paranóico para minha cabeça: acabamos de sair de um processo eleitoral e as pessoas já estão desconfiadas sobre daqui a quatro anos. A meu ver, esta é a triste síndrome de alguém que recebe um presente caro e, no lugar de  apenas agradecer, retribui com uma frase desalentadora: "é pra mim? Eu não merecia tanto!"
 
Mas não vou ficar repetindo aqui o desfile de bobagens, tem algumas que nem valem a pena. Enfim, espero que em muitos países nossos vizinhos... Aqui abro um parêntesis gigante para dizer que não acredito que certos países da Europa ou que os Estados Unidos, que estão literalmente com a cara enfiada nas plantações de papoula no Afeganistão, vão fazer fazer alguma coisa séria para resolver este problema, fecha parêntesis... Que o Brasil sirva como exemplo para ações de sucesso aqui na América do Sul ou até, quem sabe, em outros países da América Latina, como o México. 

Limar a droga do planeta, acho tecnicamente impossível, mas quem sabe... Não vou ser de todo realista... Boa sorte ao Rio e ao povo carioca, pelos quais sinto profunda admiração. 
 

O Estado brasileiro dando exemplo ao mundo... a uma parte dele

Local é o ponto mais alto do conjunto de favelas que era tido como fortaleza de uma das maiores facções criminosas do Rio

 



A Polícia Civil, que ocupa o Complexo do Alemão, conjunto de favelas na zona norte do Rio, às 13h30 deste domingo (28) no ponto mais alto da comunidade bandeiras do Rio e do Brasil para simbolizar o domínio do Estado sobre a região, antes dominada por traficantes de uma das maiores facções do Estado.

A primeira a ser erguida, foi a bandeira do Estado. Logo depois a do país foi hasteada. O símbolo da conquista ocorre depois de cinco horas e meia de ocupação, que concentra mais de dois mil homens, entre policiais civis, militar, federais e militares do Exército.

As bandeiras foram hasteadas no topo de um morro onde está sendo construído um teleférico que ligará Ramos a Bonsucesso. Previsto nas obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o teleférico ainda não foi instalado. Em abril de 2008, quando o Batalhão de Operações Especiais (Bope), ocupou a Vila Cruzeiro, a bandeira hasteada foi a da corporação, e não as do país e do Estado.

Nenhum comentário: