quarta-feira, 20 de abril de 2011

Imigração clandestina gera crise entre Itália e França


As notícias abaixo podem ser atuais, mas não são novidade alguma. Imigrantes ditos ilegais invadindo as fronteiras da Itália e tentando entrar na França, isso não é de hoje. A Europa está em crise financeira a moral, envelhecendo e empobrecendo ao mesmo tempo. Talvez devesse ter em mente que esses imigrantes sejam verdadeiramente o futuro para a manutenção da espécie. Vivazes, cheios de disposição para trabalhar e de filhos para alimentar, tudo ao contrário do Velho Mundo. Deviam ver os imigrantes como seus netos, que chegam de uma hora para outra fazendo a maior algazarra. Só que esses netos não estão em férias: eles querem ficar para reclamar a herança.

A bem da verdade, parece que a Europa está mostrando sinais de Alzheimer: ela anda esquecida do que tem promovido um verdadeiro neo-colonialismo no Oriente há, pelo menos, sessenta e seis anos, desde o fim da Segunda Guerra (1939-1945). Se você não sabe, o Alzheimer vai fazendo a pessoa esquecer fatos recentes e se apegando aos mais antigos. É o que tem feito a Europa. Ela ainda está apegada ao tempo das Cruzadas contra os Mouros. Para sua sorte, a Europa tem quem a ajude, ela confia num fiel enfermeiro-guarda-costas chamado Estados Unidos. Só que esse ganhou confiança e anda ditando certas regras dentro de sua pópria casa. 

Enfim, vemos que estão funcionando as leis de "causa e efeito": se a Europa está invadindo a Tunísia, é de se esperar que a Tunísia invada a Europa. E isso é tão certo quanto todas as leis da mecânica Newtoniana. E é claro como a poética luz do sol em dia de verão de Sheakspeare, como a lógica espiritualista-filosófica xintoísta Chinesa. Só a própria Europa não quer ver isso. Para a nossa sorte, as coisas estão voltando a ser o que eram antes das Cruzadas, com os àrabes em solo europeu. Aquele foi um grande momento de crescimento filosófico e artístico, inclusive financeiro para a Europa, num processo que não durou décadas, mas séculos... Agora, veremos.

A  lei de causa e efeito funcionando na Europa


O Estado de São Paulo
7 de março de 2011
http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,imigracao-clandestina-gera-crise-entre-italia-e-franca,703151,0.htm

ROMA - A Itália acusou a França nesta quinta-feira, 7, de ter uma atitude hostil à onda de imigrantes clandestinos tunisianos que chegam desde janeiro ao seu litoral, no momento em que funcionários da imigração francesa prometeram reforçar o controle na fronteira contra os clandestinos.

O governo italiano luta para abrigar e vigiar cerca de 25 mil clandestinos que fugiram do Norte da África desde janeiro. O problema gerou um impasse político entre Roma e Paris. Muitos tunisianos querem partir da Itália para a França, ex-metrópole colonial da Tunísia. A França, contudo, tem barrado a entrada dos tunisianos na fronteira com a Itália.

"Até agora, o governo francês tem tido uma atitude hostil", disse o ministro do Interior da Itália, Roberto Maroni, quando discursava sobre a questão imigratória na Câmara dos Deputados. A Itália concedeu na quarta residência temporária para a maioria dos 25 mil clandestinos. "A partir de agora, quem chegar será deportado", afirmou Maroni. A residência temporária permite que os imigrantes circulem dentro da Itália e de toda a União Europeia (UE), que participa do tratado de Schengen.

Mas o homólogo francês de Maroni, Claude Gueant, alertou que a França não pretende sofrer os efeitos econômicos e sociais de uma imigração em massa de tunisianos. "Não basta ter papéis italianos para vir à França. Eles também precisam de carteiras de identidade e provar que têm condições econômicas para se manter aqui. Essa é a lei europeia", disse Gueant. "Se eles não tiverem dinheiro, serão deportados, mesmo com seus papéis italianos", afirmou. As informações são da Associated Press.

Nenhum comentário: